Você está aqui: Página Inicial > home > Notícias > Helder Barbalho autoriza ampliação em R$ 167 mi para futuros terminais no Pará

Helder Barbalho autoriza ampliação em R$ 167 mi para futuros terminais no Pará

Hidrovias do Brasil decide ampliar obras do maior complexo de exportação de grãos do estado, que está recebendo R$ 1,4 bi em investimentos totais

Publicada em 03.03.2016
por Asse última modificação: 03/03/2016 11h43

O ministro Helder Barbalho, da Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP), assina nesta quinta-feira, 3/3, em Belém, dois termos aditivos de expansão de futuros terminais portuários no Estado do Pará. As obras são de responsabilidade da Hidrovias do Brasil (HBSA) e fazem parte do projeto da empresa de implantar o maior complexo de grãos do estado do Pará, que assim se fortalece como a mais competitiva rota logística para escoar a safra de produtores da Região Centro-Oeste. Os contratos assinados somam R$ 872 milhões e já estão criando empregos e renda na região.

Os investimentos anunciados hoje (3/3) significam a ampliação em mais de R$ 167 milhões dos projetos que estão sendo implantados pela HBSA nos municípios de Vila do Conde e de Itaituba. Ao todo, o projeto do corredor logístico da HBSA prevê investimentos da ordem de R$ 1,4 bilhão, divididos em três pilares: Estação de Transbordo de Cargas (ETC) de Miritituba; Terminal de Uso Privado (TUP) de Vila do Conde e encomendas de barcaças e empurradores, que formarão os comboios de transporte da carga de grãos pela Hidrovia do Tapajós.

A Hidrovias do Brasil está implantando o complexo num ótimo momento para o setor agrícola da região conhecida como Arco Norte. Em 2015, segundo estudo do Ministério da Agricultura, a movimentação de cargas de soja e milho na região atingiu 20 milhões de toneladas, o que representou crescimento de 54% em comparação com o ano anterior.


PORTO DE MAIOR PROFUNDIDADE DA REGIÃO NORTE
O maior contrato é para ampliação das obras no futuro terminal no porto de Vila do Conde, em Barcarena. O valor total deste contrato passará de R$ 505,3 milhões para R$ 622,2 milhões. A unidade pode ter capacidade para até 8 milhões de toneladas anuais, mas já possui contratos assinados para exportar, já no primeiro ano de operação, 6,6 milhões de toneladas.

Com a ampliação dos investimentos, a HBSA pretende implantar em Vila do Conde um porto com profundidade de até 20 metros. Quando entrar em operação, o futuro terminal da Hidrovias do Brasil terá o porto de maior calado da Região Norte e um dos maiores do Brasil.

O segundo contrato prevê investimento adicional de R$ 50 milhões em ampliação de futura estação de transbordo de carga (ETC) em Miritituba, no município de Itaituba. O valor anterior deste contrato era de R$ 200 milhões. A ETC foi projetada para ser um ponto de ligação e transbordo, para recepcionar caminhões e levar, por barcaças, a carga de grãos para o futuro terminal da Hidrovias do Brasil em Vila do Conde/PA.

As obras de implantação da ETC e do TUP estão gerando atualmente cerca de 2 mil empregos no estado. E quando entrar na fase de operação, deverão gerar cerca de 800 empregos diretos e indiretos.

Adicionalmente, a HBSA está compondo uma frota de 7 empurradores e 140 barcaças para a formação dos futuros comboios, que transportarão as cargas de grãos ao longo da Hidrovia Tapajós. Parte desta frota está em construção e estaleiro no estado do Pará. O investimento é de cerca de R$ 400 milhões.

 

 

Assessoria de Comunicação Social
Secretaria de Portos - SEP/PR
comunicacaosocial.sep@portosdobrasil.gov.br
twitter.com/portosdobrasil
Fone: +55 (61) 3411 3702/3714