Você está aqui: Página Inicial > home > Notícias > Portos do Arco Norte exportam volume 54% maior de soja e milho em 2015

Portos do Arco Norte exportam volume 54% maior de soja e milho em 2015

Leilões de seis áreas para novos terminais portuários no Pará deve consolidar rota de escoamento de grãos

Publicada em 05.02.2016
por Assessoria de Comunicação Social última modificação: 05/02/2016 15h37

As exportações de soja e milho pelos portos do Arco Norte – Itacoatiara (AM), Santarém e Vila do Conde (PA), Itaqui (MA) e Salvador (BA) – saltaram de 13 milhões de toneladas para 20 milhões de toneladas no acumulado de 2015, em comparação com 2014. Esse resultado representa um incremento de 54% no volume de escoamento de grãos pelos portos da região, de acordo com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

E a tendência é que esse volume aumente ainda mais, especialmente com a entrada em operação de novos terminais portuários, principal objetivo dos leilões de arrendamento de seis áreas, todas no Pará, que acontecerão no mês que vem – dia 31 de março. Das seis áreas que estão sendo licitadas pela Secretaria de Portos da Presidência da República, cinco são para movimentação e armazenamento de grãos e uma para transportar fertilizantes, insumo importante do agronegócio. Dessa forma, o Arco Norte pode se consolidar como principal rota de escoamento de grãos produzidos no Centro-Oeste brasileiro.

“O que queremos é garantir o investimento e ampliar a movimentação de carga para baratear a operação e gerar competitividade para o setor e para o produto brasileiro”, explica o ministro Helder Barbalho.

O Arco Norte há cinco anos escoava 8% do total soja e milho destinado ao mercado internacional. Hoje já alcança 20% dos embarques totais do país, de acordo com informações do Mapa.

“Isso mostra o acerto das políticas de incentivos para o crescimento do setor portuário na região, para atender a produção colhida acima do Paralelo 16 (paralelo que está 16 graus ao sul do

plano equatorial da Terra)”, destaca Marcelo Cabral, diretor de Infraestrutura, Logística e Geoconhecimento para o Setor Agropecuário do Mapa.

Os portos do Norte e Nordeste, por estarem mais próximos das áreas de produção do Centro-Oeste, permitem uma redução da ordem de US$ 50/tonelada no custo logístico.

Ao todo, serão leiloadas seis locais para novos terminais no Pará: duas áreas em Santarém, uma em Vila do Conde (no município de Barcarena) e três em Belém, no Terminal de Outeiro. A estimativa de investimentos é de R$ 1,766 bilhão, sendo R$ 1,464 bilhão em obras nos novos terminais e R$ 301,977 milhões de reais em valor do arrendamento a ser pago à Companhia Docas do Pará.




Assessoria de Comunicação Social
Secretaria de Portos - SEP/PR
comunicacaosocial.sep@portosdobrasil.gov.br
twitter.com/portosdobrasil
Fone: +55 (61) 3411 3702/3714